551 Views |  Like

Setembro Amarelo: vamos juntos combater o suicídio

No calendário das campanhas de saúde e antes do consolidado Outubro Rosa temos o humilde Setembro Amarelo. O mês de prevenção ao suicídio, mal compreendido e negligenciado por grande parte das pessoas, ainda tem duas semanas pela frente, duas semanas para passar a sua mensagem.

Ano passado eu fiz ações no consultório e percebi que peguei muita gente de surpresa. Coisa simples: uma mensagem e uma rosa amarela. E foi como trazer um assunto ruim para mesa da família. Mas, é na casa da gente que essa discussão tem que acontecer.

O assunto é pesado e parece estar distante do cotidiano de muitos, mas o suicídio marca da história de muitas famílias que perderam pessoas queridas que acreditaram que “não existia mais saída”.

Antes de tudo, você precisa saber que:

– No Brasil, 32 brasileiros tiram a própria vida por dia. No mundo, ocorre uma morte a cada 40 segundos.

– O suicídio é um ato de comunicação. Quem se mata, na realidade tenta se livrar da dor, do sofrimento, que de tão imenso, parece insuportável.

– Durante o mês, além das mensagens de apoio e temas discutidos na internet, diversos centros de saúde abrem programas e tratamentos.

– Aprender a ouvir o outro pode salvar a vida dele. É fato que o suicídio é um fenômeno complexo, de múltiplas determinações, mas saber reconhecer os sinais de alerta pode ser o primeiro e mais importante passo. Isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse por atividades de que gostava, descuido com aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite, frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer” podem indicar necessidade de ajuda.

– Nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas (OMS). A medida preventiva é o acesso à informação e tratamento.

– Para apoio emocional ligue 188. Ações de apoio são oferecidas pelas instituições de saúde e também por projetos ligados ao CVV.

– Pode não ser para você, mas pode salvar a vida de muita gente.

Fonte: setembroamarelo.com

Fique alerta e jamais negligencie a dor do outro. A nossa presença, empatia e orientação podem salvar muitas vidas. Observe o comportamento das pessoas a sua volta. Deixe de lado julgamentos como: “é só uma fase’’, “coisa da idade”, “isso é frescura”, “isso é um exagero”, “só quer chamar atenção”…

Seja um facilitador. Viver é uma jornada única e individual. Não perca a oportunidade de estender a mão àqueles que estão com dificuldades de caminhar. Façamos do Setembro Amarelo uma campanha mais forte e que dura o ano inteirinho!

Marina Viana (Nutricionista e parceira das GarotasFDP)