454 Views |  Like

Mais que roupas! Queremos respeito!

E eu começo esse texto um tanto quanto pensativa hoje e quero te levar a refletir comigo!

Muita gente me pergunta a razão de termos criado o blog Garotas Fora do Padrão. Eu resolvi trazer algumas questões que nos fazem lutar todos os dias pelas mais de 35 mil seguidoras.

A princípio esse blog foi criado no intuito de trazer roupas. Sim, opções de looks voltados para o público plus size.

Já percebeu a importância da roupa na sua vida? É ela que te inclui ou exclui de um determinado meio,e o público plus sempre foi excluído de qualquer meio.

Até bem pouco tempo, eram pouquíssimas opções de roupas que vestiam acima do manequim 44. Me lembro do meu desespero em vestir 46, pois as lojas de departamento só vendiam até essa numeração.

Adolescentes só vestiam preto, noivas tinham que encomendar seus vestidos em costureiras e nem sempre ficavam como queriam. Não era possível achar uma roupa legal durante um passeio no shopping, nenhuma gorda usava biquíni, croppednou uma lingerie bonita.

Então, resolvemos dar um basta nisso. Várias mulheres se unindo e empoderando as gordas pelo mundo todo. O mercado teve que nos ouvir. É certo que boa parte desse mercado ainda se faz de surdo. Mas já foi um grande progresso.

E então? O propósito do blog morria aí? Se já conseguimos que praticamente toda lojinha de bairro tenha pelo menos uma blusinha legal para gordas, não há mais nada a ser feito?

Te respondo que há muito por fazer ainda! A roupa foi só o início de toda a treta que arrumamos para nós mesmas.

Existem milhares de gordas por aí que sofrem desrespeitos de vários tipos de pessoas e lugares simplesmente por serem gordas.

Já aprendemos que gorda não é palavrão, mas, precisamos ensinar aos outros o respeito às gordas. Então, se você ainda tem alguma dúvida do que precisamos, leia com atenção uma listinha básica de boas maneiras:

Não é legal perguntar se a gorda está fazendo dieta, só porque ela come salada.

Você não precisa dizer que ela está fazendo academia para emagrecer. Ela pode ir apenas por saúde.

Deixe as pessoas gordas comerem em público. Não olhe censurando.

Não pergunte o que a gorda foi fazer na loja de roupas tamanho padrão. Ela pode estar apenas comprando um presente para alguém.

Lute para que a gorda tenha acesso à atendimento médico de qualidade.

Ah, você que é da área da saúde, preste um tratamento humanizado às pessoas gordas.

A gorda pode pegar ônibus e sentar ao seu lado. Não a censure por isso, afinal o transporte é público.

Não fale que a gorda é bonita de rosto.Ela é bonita por inteiro e não precisa da sua avaliação.

Não use adjetivos como gordinha, cheinha oufofinha. Pode chama-la pelo nome mesmo.

Não pergunte se ela está se preocupando com a saúde. Cuide da sua e deixe que ela cuide da dela.

Por fim, na dúvida, coloque-se no lugar da pessoa gorda. Sororidade é igual canja de galinha. Não faz mal a ninguém.

Beijos

Carol Cyrne