2893 Views |  2

FWPS e SPFW: até quando viveremos segregados?

Depois de uma semana pra lá de intensa, pausa para reflexões.

Desde domingo passado, estamos numa correria por conta dos eventos de moda que aconteceram em São Paulo. O primeiro deles foi o Fashion Weekend Plus Size, produzido pela Renata Poskus, que reuniu a gordolândia e foi um momento incrível de muita conversa, troca de ideias, desfiles e boas risadas.

O segundo, São Paulo Fashion Week: o maior evento de moda do país, um dos cinco maiores do mundo. Sim, ele carrega todo aquele status e ar pretensioso que a moda insiste em trazer consigo muitas vezes, como se os ditadores de tendência fossem seres supremos. (rs)

Pelos corredores da Bienal, um desfile sem passarela dos mais diversos estilos e gostos. Porém, pude contar nos dedos quantos blogs de moda plus size passaram por lá. A maioria esteve no dia do desfile da LAB,  que tem se tornado a Gisele das últimas edições e é o momento mais aguardado, por trazer as ruas para as passarelas, com pessoas lindamente comuns.

Mc Carol no desfile da LAB no SPFW N44. (Agência Fotosite/Agência Fotosite)

Mas por que apenas uma dúzia de blogs plus sizes em um evento desse porte, que deveria ser do interesse de todos que trabalham com moda no país? Falta de preocupação com as tendências? Acredito que não. Falta de acesso talvez.

Credenciar para o SPFW é tarefa árdua – conseguimos apenas na terceira tentativa – e os convites para os desfiles são disputados a tapa. Infelizmente, blogs de moda plus size ainda tem números baixos de seguidores – uma de nossas maiores representantes, Ju Romano, não chega a 200 mil seguidores no Instagram, enquanto nomes como Thassia Naves beiram os 3 milhões. Em um mundo que se configura por quantas arrobas te seguem, é difícil competir por um espaço para nossas bundas grandes nas filas dos desfiles.

Então, cria-se um evento destinado apenas ao meio plus size para que possamos caber na moda. Não quero desmerecer – de forma alguma – o trabalho super legal que a Renata desenvolve. Porém, até quando viveremos segregados?

Ronaldo Fraga desfilou uma coleção maravilhosa, com modelos amputados, idosos, gordos e frisou: “será que ainda precisamos cultuar esses corpos inatingíveis?” e arrancou aplausos e suspiros de todos.

Fluvia Lacerda desfilando para Ronaldo Fraga. Foto: Miguel Schincariol (AFP)

Um evento que tem como pontos altos dois desfiles extremamente reais e próximos do público consumidor, precisa ter isso como ponto de atenção. Moda inclusiva é o mínimo que queremos.

Meu sonho de princesa é dizer que o Garotas FDP é um blog de moda, e não um blog de moda plus size. Não precisamos fazer distinção. Podemos inspirar pessoas gordas e pessoas magras. Temos conhecimento, corremos atrás, estudamos diariamente para isso. Não precisamos de mais um rótulo em nossas vidas. Precisamos é que mais e mais pessoas tenham acesso às informações em tempo real, que criem sua própria versão do “fazer moda”. Precisamos de mais formadores de opinião menos padronizados em eventos como o SPFW e em todos os lugares.

Mariana Cyrne