6356 Views |  7

DE TODOS OS CONSELHOS SOBRE AUTOESTIMA, TALVEZ ESTE SEJA O MAIS IMPORTANTE

Outro dia uma amiga querida (beijos, Ju!) postou em um grupo no Facebook sobre a dificuldade que tinha de se olhar no espelho. Fiquei pensando em quantas pessoas passam pela mesma coisa todos os dias. Mas, por que isso acontece? Porque o que vemos estampado nas revistas, jornais e redes sociais não são corpos nem de longe parecidos com os nossos. Esses corpos ditos perfeitos invadem nossa visão em todas os lugares.

Acontece que o seu corpo não é menos perfeito por não se parecer com o da Sabrina Satto, Deborah Secco ou da Pugliesi. Ele é apenas diferente. Suas estrias, celulites, gorduras fazem parte de você e você precisa enxergar isso. A mesma amiga que me deu esse insight, disse: “Hoje estou com três espelhos grandes em casa e confesso que foi difícil me acostumar, mas está fazendo bem demais para o processo de aceitação do meu corpo e do amor próprio” (Juliana Torrette). Achei uma ótima dica!

Quando começamos o blog, eu tinha uma enorme dificuldade de ver as minhas próprias fotos. Ficava pensando: “caramba, então é assim que as pessoas me veem? Eu sou realmente deste tamanho?” Eu não me reconhecia. Fotografar todos os dias me ajudou a saber quem eu era de verdade e, consequentemente, com a minha autoestima. Hoje entendo muito melhor o que funciona e o que não funciona tão bem para o meu corpo, quais os pontos eu posso e devo valorizar.

Na semana passada saiu o novo filme da Dove, conduzido pela musa Shonde Rimes. Ele conta a história de Cathleen Meredith, uma escritora que criou um programa de dança que incentiva a aceitação do corpo feminino.

No filme, Cathleen, que nunca viu a gordura como um problema, diz:

Quando você dança no vídeo e então se vê nele, você pensa: “meu Deus! Como eu sou gorda!”. E é muito estranho, porque você sabe que é gorda, mas nunca da forma como a câmera mostra. Então, quando você se olha várias vezes, é como se você mudasse de “meu Deus! Como eu sou gorda!” para “meu Deus! Como eu sou incrível!”. Eu não sabia que precisava me conectar ao meu corpo. (Trad. livre)

Então, se eu posso deixar uma dica para você que realmente vá mudar a sua vida é: se olhe mais. Se olhe até decorar cada parte do seu corpo. Reconheça-se. Tire mais fotos. Filme-se. Pare de comparar seu corpo ao de outras pessoas negativamente. Namore você mesmo através do espelho. Conheça cada centímetro do seu corpo. Ele é o veículo para cada sonho seu e precisa ser amado e tratado com carinho. E lembre-se: corpo perfeito é aquele que carrega uma pessoa feliz dentro dele!

Beijos e mais beijos, cheios de amor próprio.

Mariana Cyrne