3043 Views |  Like

De repente, um balde de água fria. Onde está a capa da Fluvia?

Há exatamente duas semanas, nos surpreendemos positivamente com a seguinte chamada em praticamente todos os sites de notícias “Fluvia Lacerda será a primeira capa plus size na história da Playboy”. 

fluvia-lacerda-playboy

Nossos corações se encheram de alegria e otimismo. Essa notícia foi excelente para lavar a alma de um ano marcado por tanta coisa ruim. Ver Fluvia, uma de nossas mais significativas representantes, na capa de uma das revistas masculinas mais cobiçadas do mundo, nos engrandeceu, e nos fez acreditar que sim, estamos no caminho certo rumo à inclusão e aceitação das diversidades.

Para quem não sabe, a revista tem  mais de 40 anos de publicações no  Brasil. E Fluvia, ah Fluvia!!!!!  Ela é  carioca de 36 anos e mora em Nova York há 20. Nós a consideramos nossa Gisele Bündchen , pois é uma das mais importantes modelos plus size do mundo.  Ou seja, melhor representadas, impossível!

fluvia-lacerda-playboy2

Pois bem, já ouviram o ditado que diz que alegria de pobre dura pouco? Essa durou uma semana! Ao irem às bancas, leitoras e leitores foram surpreendidos com outra capa, Gabriella Ripi uma mulher padrão, magra. E onde estava Fluvia??? Estava em uma frase pequena à esquerda. E sua capa?Ah, a capa de Fluvia estava na versão exclusiva para  colecionadores em versão digital, e aí caímos na escuridão de novo!

gabriela-rippi

Capa de Gabriela Rippi na Playboy

A jornalista Renata Poskus, do blog mulherão, na minha opinião uma das principais influenciadoras da causa plus size, bem externou sua opinião, ao dizer que a revista se utilizou de Fluvia para atrair seu público e causar um burburinho.

Esse foi o balde de água fria que precisávamos, para terminar o terrível ano de 2016!  Há quem diga que estamos avançando rumo à aceitação das diversidades, mas ainda é pouco gente, os passos ainda são muito pequenos!

O mundo tende a esconder o que é diferente, e foi o que fizeram com Fluvia, com Ju Romano. A linda Ju foi colocada no meio da  revista e de biquíni. Está linda, porque Ju é linda de qualquer jeito, mas precisamos correr urgentemente com a nossa causa gente! Precisamos de mais representatividade em todos os lugares e meios.

ju-romano-playmboy

Ju Romano em entrevista à Playboy

Eu cansei, para mim chega! Não quero mais me surpreender ao ver uma matéria, dizendo que uma plus size é capa de revista feminina, que plus desfilou no fashion week, que trans foi casting de estilista famoso, pois isso não deve mais ser surpresa. Tem que ser normal, somos todos humanos e temos direitos iguais!

Esse é meu último texto do ano, e espero que ano que vem nossos passos rumo à luta por igualdade sejam ainda maiores. Que nos apoiemos mutuamente, que a luta de um seja a luta de todos.

No mais, um esperançoso ano de 2017!

 

Beijos

 

Carol Cyrne